Histórico

O Programa de Pós-Graduação em Geologia (PPGG) da Universidade Federal do Ceará (UFC) foi fundado em 1995, com o curso de mestrado.  O curso de doutorado foi fundado 13 anos depois, em novembro de 2008, e iniciou as atividades didáticas em março de 2009.

A quantidade de trabalhos de conclusão, até dezembro de 2016 foi de 178 dissertações de mestrado e 21 teses de doutorado, perfazendo total de 199 trabalhos finalizados (Fonte: Sistema Integrado de Gestão e Atividades Acadêmicas – SIGAA/UFC).

As atividades de gestão são realizadas por uma coordenação (coordenador e vice coordenador) e um colegiado composto por professores permanentes do programa e do quadro efetivo da UFC, além da representação estudantil na proporção segundo as normas em vigor.

No último quadriênio, a quantidade de professores em cada categoria variou da seguinte maneira:

 Ano Total Permanentes Colaboradores
2013 19 15 4
2014 19 15 4
2015 18 15 3
2016 22 16 6

Média do percentual de docentes permanentes no quadriênio de 78%.

Tal proporção de professores colaboradores relaciona-se a demandas que precisam ser complementadas em áreas como geodinâmica, hidrogeologia e paleontologia.

O aumento da quantidade total de docentes em 2016 foi devido principalmente à expansão da linha de pesquisa Paleontologia e Geologia Histórica e da possibilidade de incorporação de novos professores permanentes oriundos de instituições geograficamente próximas, como Universidade Federal do Piauí (UFPI) e Universidade Federal do Cariri (UFCA), a partir da Portaria CAPES Nº 81 de 03/06/2016.

Existe uma peculiaridade institucional, que aliada à uma oportunidade geológica, força a incorporação de professores colaboradores de Paleontologia ao programa: a vocação do Departamento de Geologia da UFC para Geologia do Pré-Cambriano.

A peculiaridade geológica é a Bacia do Araripe, em grande parte situada em território cearense, portadora de estratos riquíssimos em conteúdo fossilífero (Crato Fóssil Lagerstaette) de relevância internacional, o que motivou a assinatura em 2016 do Memorando de Entendimento entre a Universidade Federal do Ceará (UFC) e Instituto Senckenberg (Alemanha) para pesquisas paleontológicas conjuntas. As atividades têm sido desenvolvidas no âmbito do projeto Crato Fossil Lagerstaette e, com a realização de workshop homônimo na cidade do Crato-CE, em novembro de 2016, houve uma maior interação entre a maioria dos professores colaboradores e permanentes da área de Paleontologia (UFC, UFCA, UFRGS) e participantes externos (Universidade Federal de Goiás-UFG, Universidade Federal do Rio de Janeiro-UFRJ/Museu Nacional e Universidade Regional do Cariri-URCA, Instituto Senckenberg, Museu de Berlin).

A diretriz estratégica para 2017 é que, à luz da portaria Nº 81, alguns dos professores colaboradores vinculados a instituições geograficamente mais próximas (ex.: Universidade Regional Vale do Acaraú-UVA, Universidade Federal Rural de Pernambuco-UFRPE) possam se tornar permanentes.

Deve-se ainda enfatizar que alguns dos professores colaboradores são elos de relacionamento com programas de instituições com relevo nacional, como Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Universidade de São Paulo (USP) e Universidade de Campinas (UNICAMP).

As instituições de origem dos professores colaboradores e participantes externos indicam a variedade de parcerias que o programa desenvolveu e desenvolve, como exposto acima para a linha de pesquisa Paleontologia e Geologia Histórica.

As instituições de origem dos professores colaboradores e participantes externos indicam a variedade de parcerias que o programa desenvolveu e desenvolve. As parcerias nacionais mais recentes envolvem 20 instituições:

  • Fundação Universidade Federal do Rio Grande (FURG);
  • Universidade de Brasília (UNB);
  • Universidade de Campinas (UNICAMP);
  • Universidade de São Paulo (USP);
  • Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN);
  • Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP);
  • Universidade Estadual do Ceará (UECE);
  • Universidade Estadual do Vale do Acaraú (UVA);
  • Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP);
  • Universidade Federal da Bahia (UFBA);
  • Universidade Federal de Goiás (UFG);
  • Universidade Federal de Pernambuco (UFPE);
  • Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC);
  • Universidade Federal de Viçosa (UFV);
  • Universidade Federal do Cariri (UFCA);
  • Universidade Federal do Pará (UFPA);
  • Universidade Federal do Piauí (UFPI);
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN);
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS);
  • Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE).

As parcerias internacionais são envolvem 8 instituições de 5 países:

  • Instituto Senckenberg (Frankfurt/Alemanha);
  • Universidade de Hamburgo (Alemanha);
  • Universidade do Kentucky (EUA);
  • Museu de História Natural de Londres (Grã-Bretanha);
  • Observatório Vesuviano de Nápoles (Itália);
  • Instituto Superior Técnico (IST)/Universidade de Lisboa (ULISBOA) (Portugal);
  • Universidade de Aveiro (UA) (Portugal);
  • Universidade Nova de Lisboa (UNL) (Portugal).

Essas parcerias e o esforço dos professores permanentes resultaram em diversos projetos institucionais, individuais e de cooperação que aportaram recursos para o desenvolvimento de pesquisas no âmbito do programa, resultando na produção científica, dissertações e teses.

Durante sua existência, o programa tem servido de importante formador de recursos humanos na área de Geociências, tendo em vista seu contexto regional e nacional. A constante oferta anual alcançou os seguintes números no triênio:

  • 14 vagas para mestrado e 10 vagas para doutorado em 2013;
  • 16 vagas para mestrado e 11 para doutorado em 2014;
  • 13 vagas para mestrado e 13 vagas para doutorado em 2015;
  • 19 vagas para mestrado e 12 vagas para doutorado em 2016.

Dessa forma, foram qualificados profissionais que se engajaram no mercado de trabalho através de várias oportunidades: empresas privadas e órgãos públicos em geral, universidades públicas e privadas, entre outros.

Em adição, manteve-se o aporte de profissionais qualificados para setores estratégicos como mineração, petróleo e gás, meio ambiente e recursos hídricos, através da atuação do programa em linhas de pesquisa como:  Geodinâmica e Recursos Minerais, Hidrogeologia e Gestão Hidroambiental, Geologia Marinha e Ambiental, Geofísica Aplicada, Paleontologia e Geologia Histórica.

O programa também tem contribuído para o avanço do conhecimento em paleontologia na região Nordeste, especialmente com a criação e aprovação em 2012 da linha de pesquisa de Paleontologia e Geologia Histórica, para a qual surgiram novas disciplinas na estrutura curricular e têm sido firmadas novas parcerias interinstitucionais, inclusive internacionais (e. g. Instituto Senckenberg).

Nesse caso, tais procedimentos visaram atender uma demanda decorrente da atuação efetiva do PPGG e do Departamento de Geologia da UFC junto à região do Cariri, onde está localizada a Bacia Sedimentar do Araripe.

Ainda em 2012, foi reativada a linha de pesquisa em Geofísica Aplicada, setor estratégico considerando-se os investimentos nas áreas de mineração, petróleo e gás, a qual também gerou parcerias nacionais e internacionais.

Ao longo de sua existência, o Programa de Pós-Graduação em Geologia vem servindo de importante formador de recursos humanos, formando mestres (a partir de 1995) e doutores (a partir de 2013), profissionais estes que vem sendo incorporados tanto na comunidade acadêmico-científica e quanto em diversas empresas que lidam com mineração e/ou meio ambiente, tais como: CPRM, DNPM, INB, SOHIDRA, NUTEC, DNOCS, FUNCEME, SEMACE, CAGECE, SRH (Secretaria de Recursos Hídricos do Ceará).

Nos últimos anos, uma série de fatores vem contribuindo para a melhoria do programa, dentre os quais podem ser citados:

  • A qualificação e produção científica do corpo docente;
  • A melhoria na infraestrutura;
  • O aumento do número de docentes;

A aprovação de grandes projetos financiados pela CAPES, dentro do Programa Nacional de Cooperação Acadêmica (PROCAD), Projeto Milênio, Programa Ciência sem Fronteiras e do Programa de Apoio a Projetos Institucionais com a Participação de Recém Doutores (PRODOC) vem contribuindo para a melhoria da qualidade na formação de recursos humanos em Geologia e, sobretudo, aumentando, consideravelmente, o conhecimento geológico do Estado do Ceará, gerando produtos de  fundamental importância para o seu desenvolvimento.