Histórico

O Programa de Pós-Graduação em Geologia (PPGG) da Universidade Federal do Ceará (UFC) foi fundado em 1995, com o curso de mestrado.  O curso de doutorado foi fundado 13 anos depois, em novembro de 2008, e iniciou as atividades didáticas em março de 2009.

Nos últimos anos, uma série de fatores vem contribuindo para a melhoria do programa, dentre os quais podem ser citados:

  • A qualificação e produção científica do corpo docente;
  • A melhoria na infraestrutura;
  • O aumento do número de docentes.

A aprovação de grandes projetos financiados pela CAPES, dentro do Programa Nacional de Cooperação Acadêmica (PROCAD), Projeto Milênio, Programa Ciência sem Fronteiras e do Programa de Apoio a Projetos Institucionais com a Participação de Recém Doutores (PRODOC), vem contribuindo para a melhoria da qualidade na formação de recursos humanos em Geologia e, sobretudo, aumentando, consideravelmente, o conhecimento geológico do Estado do Ceará, gerando produtos de  fundamental importância para o seu desenvolvimento.

A quantidade de trabalhos de conclusão, até março de 2018 foi de 216 dissertações de mestrado e 38 teses de doutorado, perfazendo total de 254 trabalhos finalizados (Fonte: Sistema Integrado de Gestão e Atividades Acadêmicas – SIGAA/UFC).

As atividades de gestão são realizadas por uma coordenação (coordenador e vice coordenador) e um colegiado composto por professores permanentes do programa e do quadro efetivo da UFC, além da representação estudantil na proporção segundo as normas em vigor.

O aumento da quantidade total de docentes em 2016 foi devido principalmente à expansão da linha de pesquisa Geologia Sedimentar e Paleontologia (antiga Paleontologia e Geologia Histórica) e da possibilidade de incorporação de novos professores permanentes oriundos de instituições geograficamente próximas, como Universidade Federal do Piauí (UFPI) e Universidade Federal do Cariri (UFCA), a partir da Portaria CAPES Nº 81 de 03/06/2016.

No final do quadriênio 2013-2016 com a realização de concursos, o programa teve ingresso de novos docentes em seu quadro permanente, devido à realização de três concursos para professores efetivos junto ao Departamento de Geologia da UFC.

Atualmente o programa conta com total de 25 professores, sendo 20 (80%) permanentes, 5 (20%) colaboradores, além de um bolsista PNPD. A proporção de professores colaboradores relaciona-se a demandas que precisam ser complementadas em áreas como Geodinâmica e Paleontologia.

A Bacia do Araripe, em grande parte situada em território cearense, é portadora de estratos riquíssimos em conteúdo fossilífero (Crato Fóssil Lagerstaette) de relevância internacional, o que motivou a assinatura em 2016 do Memorando de Entendimento entre a Universidade Federal do Ceará (UFC) e Instituto Senckenberg (Alemanha) para pesquisas paleontológicas conjuntas. As atividades têm sido desenvolvidas no âmbito do projeto Crato Fossil Lagerstaette e, com a realização de workshop homônimo na cidade do Crato-CE, em novembro de 2016, houve uma maior interação entre a maioria dos professores colaboradores e permanentes da área de Paleontologia (UFC, UFCA, UFRGS) e participantes externos (Universidade Federal de Goiás-UFG, Universidade Federal do Rio de Janeiro-UFRJ/Museu Nacional e Universidade Regional do Cariri-URCA, Instituto Senckenberg, Museu de Berlin).

Deve-se ainda enfatizar que alguns dos professores colaboradores são elos de relacionamento com programas de instituições com relevância nacional, como Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e Universidade de Campinas (UNICAMP).

As instituições de origem dos professores colaboradores e participantes externos indicam a variedade de parcerias que o programa desenvolveu e desenvolve. As parcerias nacionais mais recentes envolvem 20 instituições:

  • Fundação Universidade Federal do Rio Grande (FURG);
  • Universidade de Brasília (UNB);
  • Universidade de Campinas (UNICAMP);
  • Universidade de São Paulo (USP);
  • Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN);
  • Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP);
  • Universidade Estadual do Ceará (UECE);
  • Universidade Estadual do Vale do Acaraú (UVA);
  • Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP);
  • Universidade Federal da Bahia (UFBA);
  • Universidade Federal de Goiás (UFG);
  • Universidade Federal de Pernambuco (UFPE);
  • Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC);
  • Universidade Federal de Viçosa (UFV);
  • Universidade Federal do Cariri (UFCA);
  • Universidade Federal do Pará (UFPA);
  • Universidade Federal do Piauí (UFPI);
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN);
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS);
  • Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE).

As parcerias internacionais envolvem 8 instituições de 5 países:

  • Instituto Senckenberg (Frankfurt/Alemanha);
  • Universidade de Hamburgo (Alemanha);
  • Universidade do Kentucky (EUA);
  • Museu de História Natural de Londres (Grã-Bretanha);
  • Observatório Vesuviano de Nápoles (Itália);
  • Instituto Superior Técnico (IST)/Universidade de Lisboa (ULISBOA) (Portugal);
  • Universidade de Aveiro (UA) (Portugal);
  • Universidade Nova de Lisboa (UNL) (Portugal).

Essas parcerias e o esforço dos professores permanentes resultaram em diversos projetos institucionais, individuais e de cooperação que aportaram recursos para o desenvolvimento de pesquisas no âmbito do programa, resultando na produção científica, dissertações e teses.

Durante sua existência, o programa tem servido de importante formador de recursos humanos na área de Geociências, tendo em vista seu contexto regional e nacional. A constante oferta anual alcançou os seguintes números no quadriênio:

  • 16 vagas para mestrado e 11 para doutorado em 2014;
  • 13 vagas para mestrado e 13 vagas para doutorado em 2015;
  • 19 vagas para mestrado e 12 vagas para doutorado em 2016, e
  • 08 vagas mestrado e 04 vagas doutorado em 2017.

Dessa forma, foram qualificados profissionais que se engajaram no mercado de trabalho através de várias oportunidades: empresas privadas e órgãos públicos em geral, universidades públicas e privadas, entre outros.

Em adição, manteve-se o aporte de profissionais qualificados para setores estratégicos como mineração, petróleo e gás, meio ambiente e recursos hídricos.

Ao longo de sua existência, o Programa de Pós-Graduação em Geologia vem servindo de importante formador de recursos humanos, formando mestres (a partir de 1995) e doutores (a partir de 2013), profissionais estes que vem sendo incorporados tanto na comunidade acadêmico-científica e quanto em diversas empresas que lidam com mineração e/ou meio ambiente, tais como: CPRM, DNPM, INB, SOHIDRA, NUTEC, DNOCS, FUNCEME, SEMACE, CAGECE, SRH (Secretaria de Recursos Hídricos do Ceará).